windows 10 pro office 2019 pro office 365 pro windows 10 home windows 10 enterprise office 2019 home and business office 2016 pro windows 10 education visio 2019 microsoft project 2019 microsoft project 2016 visio professional 2016 windows server 2012 windows server 2016 windows server 2019 Betriebssysteme office software windows server https://softhier.com/ instagram takipçi instagram beğeni instagram görüntüleme instagram otomatik beğeni facebook beğeni facebook sayfa beğenisi facebook takipçi twitter takipçi twitter beğeni twitter retweet youtube izlenme youtube abone instagram

União entre Búzios, Cabo Frio e IFF pode solucionar lixão da Baia Formosa

O secretário do Ambiente, Pesca e Urbanismo, Evanildo Nascimento, participará de uma reunião hoje (15), às 16h, no Instituto Federal Fluminense (IFF) com o Secretário do Ambiente de Cabo Frio, Juarez Lopes e com o Coordenador e Profº do IFF, Vitor Assunção, para formalizar o início dos estudos para remediação do, já desativado, vazadouro/lixão da Baía Formosa.

Essa parceria vai diagnosticar quais são os contaminantes predominantes na região e qual a forma mais adequada de remediação do vazadouro (nome técnico). Em outras palavras, busca-se equacionar o passivo ambiental do referido lixão. Cabe ressaltar que, em termos gerais, pela decomposição de seus resíduos, um vazadouro, representa inúmeros riscos de contaminação, como por exemplo, dos mananciais adjacentes, pela percolação do chorume no subsolo e lençol freático, pela contaminação do ambiente atmosférico, devido ao espalhamento de microlixo pela ação do vento e espalhamento de gases decorrentes da decomposição do material, afetando áreas residenciais nas redondezas.

De acordo com o secretário da Pasta, Evanildo Nascimento, essa união é um fato muito relevante, pois abre precedente para a Prefeitura trabalhar em parceria com a Universidade, de forma voluntária.

Além disso, em termos técnicos e institucionais trata-se de um fato bastante relevante.

Tecnicamente é de extrema relevância ambiental, conforme explicitado acima, além de pontuar de forma bastante significativa no ICMS Ecológico, pois apenas cerca de três municípios do estado do Rio de Janeiro estão trabalhando remediação de vazadouros em seus territórios, item este que representa sozinho 5% de todos recurso oriundo do imposto ecológico.

Soma-se que, institucionalmente, representa uma consolidação do trabalho ambiental conjunto entre os dois municípios, abrindo perspectivas para novas ações conjuntas e cooperação no atual complexo cenário regional, visando ações de sustentabilidade e recuperação de áreas degradadas.