Prefeitura de Búzios recebe ativista da causa do tratamento com cannabis medicinal

Bia Lula foi recebida pelo prefeito Alexandre Martins e pôde conhecer mais sobre o programa pioneiro no país. A ativista quer influenciar para que o Ministério da Saúde siga o exemplo de Búzios em escala nacional

Nesta quinta-feira (11), a atriz e ativista Bia Lula foi recebida na Prefeitura de Búzios para conhecer mais de perto o programa de saúde pública pioneiro desenvolvido na cidade com a substância canabidiol como recurso terapêutico para cuidar da Epilepsia Refratária, do Transtorno do Espectro Autista e até do Alzheimer. O prefeito Alexandre Martins e o secretário municipal de saúde, Leônidas Heringer, estiveram reunidos com a ativista, que se comprometeu em levar detalhes do programa à ministra da Saúde. Também estavam presentes na reunião a coordenadora de Cannabis Medicinal do município, Ana Célia D’ávilla, a presidente da Associação Brasileira de Acesso à Cannabis Medicinal do Rio de Janeiro (AbraRio), Marilene Esperança e o secretário de  Pessoa com Deficiência, Aurelio Barros.

Na ocasião, Bia, que também relatou sua própria experiência com o uso do medicamento, pôde conhecer os resultados positivos obtidos no tratamento dessas enfermidades com o uso do canabidiol na rede municipal de saúde. A ativista, que chegou a ter sete crises de epilepsia por dia, contou que, após cinco anos usando a substância sob a supervisão do seu médico, os episódios diminuíram para um por mês.

O grupo discutiu a importância de levar esses resultados ao Ministério da Saúde para que o uso do canabidiol seja incluído no SUS. Bia Lula pretende marcar uma agenda com a ministra Nísia Trindade para sensibilizá-la sobre o assunto e quebrar o preconceito e a falta de informação das pessoas em geral sobre o tratamento com a substância.

A iniciativa de Búzios foi elogiada pelos presentes e é considerada um exemplo a ser seguido em outras cidades do Brasil. O programa é fruto de lei municipal que autoriza o uso medicinal do óleo extraído da cannabis.  Desde então, a Secretaria Municipal de Saúde tem dado andamento ao programa e tem mantido parcerias com associações para fornecer o medicamento, enquanto aguarda a distribuição pelo Sistema Único de Saúde (SUS) no município. Com a empresa vencedora da licitação para distribuição do medicamento pelo SUS no município já definida, aguarda-se apenas o cumprimento dos ritos legais para a distribuição do óleo pela rede municipal à paciente na cidade.

Sua Solicitação foi enviada com sucesso!

Sua conta foi criada com sucesso